Para obter a sentença do select no CodeIgniter 3.1, utilize o comando get_compiled_select() com exemplificado abaixo:

$this->db->select('...');
$this->db->from('...');
echo $this->db->get_compiled_select();
die();

Para descobrir a valor do registro TXT (DNS) para instalar o Let’s Encrypt, execute o seguinte comando no prompt:

certbot -d dominio.com.br –manual –preferred-challenges dns certonly

Em seguida, siga as instruções abaixo dessa linha:

Please deploy a DNS TXT record under the name

Caso tenha um notebook sobrando, você pode, com algum esforço, criar uma unidade de backup local para seu servidor NextCloud na nuvem.

Com a versão Server do Ubuntu instalada nesse note, veja algumas dicas abaixo para configurar uma rotina de backup automatizada.

Impedindo o desligamento do notebook ao baixar a tela
  • Edite o arquivo /etc/systemd/logind.conf
  • localiza e altere o parâmetro: HandleLidSwitch=ignore
  • Finalize com o comando: sudo service systemd-logind restart
Acessar dados do backup na rede local Windows

Permitir o acesso aos arquivos do backup na rede local através de uma pasta compartilhada é recomendável.

Um HD externo formatado com NTFS pode ser usado para gravar os dados em pasta compartilhada usada como SambaShare.

  • mapeie essa unidade na fstab para ser carregada automaticamente no boot
  • crie uma pasta na unidade externa
  • crie um symlink da pasta da unidade externa na pasta home do usuário da rede que irá acessar os dados localmente
  • modifique o smb.conf para registrar o compartilhamento
    • allow insecure wide links = yes (na seção global)
    • e na seção do compartilhamento:
      • follow symlinks = yes
      • wide links = yes
Fazendo backup para uma pasta local

Antes de baixar os dados, é necessário tirar o sistema do ar, copiar as pastas do sistema e de dados para uma pasta local e finalmente reativar o sistema. Dessa forma garantimos a atomicidade dos arquivos e separamos o trabalho de transferência do backup.

Colocar o NextCloud em modo de manutenção (na pasta raiz do sistema NextCloud. ex: /var/www/nextcloud):

sudo -u www-data php occ maintenance:mode --on

O WordPress pode ser configurado para atender às necessidade de uma base de conhecimento de forma simples e rápida para nosso Negócio.

Nesse vídeo é abordada a teoria e prática para um exemplo de Knowledgebase.

Este artigo documenta o processo de configuração para executar transformações do Pentaho em um aparelho Raspberry Pi 3 (nossa estação pi) com a imagem do Raspbian Stretch Lite (sem ambiente gráfico, com foco no kitchen).

A estação pi utilizada foi a 3 Model B com 1Gb de RAM.

Iniciamos já com a imagem instalada no cartão e o aparelho ligado em rede local configurado para acessar a Internet (um servidor DHCP na sua rede local pode ajudar muita nessa hora).

Essa imagem possui apenas o essencial do sistema operacional. Dessa forma vamos instalar uma série de dependências antes de iniciar a configuração do Pentaho para rodar na arquitetura ARM7. Lembrando que o suporte à essa plataforma não é oficial e nem suportado por mim ou pelos detentores dos direitos do Pentaho.

Aconselho alterar a senha padrão do usuário pi (raspberry) para algo que lhe seja familiar e seguro.

Vamos aos comandos.

Atualização do sistema:

sudo apt update
sudo apt upgrade
reboot

Ferramentas que utilizo durante as configurações:

sudo apt install nmap mc screen p7zip-full zip

Ativação do servidor ssh para acesso remoto à estação pi:

sudo systemctl start ssh
sudo systemctl enable ssh.service

Instalação do JAVA:

sudo apt install oracle-java8-jdk

Download do Pentaho 8.2 na estação pi (este link pode expirar no futuro):

wget -c https://razaoinfo.dl.sourceforge.net/project/pentaho/Pentaho%208.2/client-tools/pdi-ce-8.2.0.0-342.zip

Extração do pacote (o nome do arquivo pode mudar no futuro):

unzip pdi-ce-8.2.0.0-342.zip

Instalação das dependências:

sudo apt install libwebkitgtk-1.0
sudo apt install libswt-gtk-4-java
sudo apt install libswt-gtk-3-java
sudo apt install libswt-cairo-gtk-3-jni
mkdir -p "/home/pi/.swt/lib/linux/arm/"
ln -s /usr/lib/jni/libswt* /home/pi/.swt/lib/linux/arm/
cp /usr/share/java/swt-gtk-3.8.jar /home/pi/data-integration/libswt/linux/armv7l

Modificação do arquivo spoon.sh para a plataforma ARM7:

adicionar esse código dentro de “Linux)”, após “case $ARCH in”:

armv7l)
           LIBPATH=$CURRENTDIR/../libswt/linux/armv7l/
           ;;

trocar os parâmetros dessa linha:

PENTAHO_DI_JAVA_OPTIONS="-Xms256m -Xmx512m -XX:MaxHeapSize=512m"

Com isso é possível executar jobs no Raspberry Pi, mesmo levando em consideração as limitações da plataforma.

Boa sorte!

Ao restaurar um banco de dados em um servidor diferente do original é comum não ter o mesmo usuário registrado nesse novo servidor ou mesmo fazer a escolha de outro para uso em ambiente de produção.

O PostgreSQL vai proibir o acesso depois de uma restauração nesses casos por parte do aplicativo que usa um novo usuário.

Para atribuir esses privilégios a um usuário no banco de dados, abra o aplicativo psql como usuário postgres:

su postgres
psql nome_do_bd

Dentro do psql execute os comandos (atenção se seu schema não for o public):

GRANT ALL PRIVILEGES ON ALL TABLES IN SCHEMA public TO nome_do_usuario;
GRANT ALL PRIVILEGES ON ALL SEQUENCES IN SCHEMA public TO nome_do_usuario;

O BIRT é um aplicativo para criação de relatórios na plataforma Eclipse que pode ser entregue na web através do Tomcat que faz a ponte entre o Java e o Web Server (Apache2, no caso).

Um ambiente java instalado e rodando no servidor é requerido para as próximas tarefas.

  1. instale o tomcat: apt install tomcat8 tomcat8-admin tomcat8-user tomcat8-examples tomcat8-common
  2. o Tomcat roda por padrão na porta 8080 do web server (verifique seu firewall)
  3. baixe o birt runtime em http://download.eclipse.org/birt/downloads/
  4. pare o serviço do Tomcat (service tomcat8 stop)
  5. descompacte o pacote e copie o arquivo birt.war para a pasta /var/lib/tomcat8/webapps
  6. copie o conteúdo da pasta WebViewerExample para a pasta /var/lib/tomcat8/webapps/birt
  7. inicie o tomcat8 (service tomcat8 start)

Particularmente eu acho as notificações de atualizações dos sistemas operacionais extremamente dispersivas. Não que elas não devem existir, mas, prefiro que a execução das mesmas seja feita em um momento neutro do meu trabalho.

No Gnome, eu utilizo os seguinte comandos para desligar a busca automática:

systemctl stop packagekit

systemctl disable packagekit

No momento adequado, utilizo o comando abaixo para instalar as atualizações:

dnf update